avatar
Admin
Mensagens : 243
Data de inscrição : 25/11/2018
Ver perfil do usuáriohttp://interioronline.forumeiros.com
05062019
Casos de suicídio alertam para mobilização em São João Suicid10


Os casos de suicídio ocorridos nos últimos dias em São João da Boa Vista (SP) têm gerado uma grande preocupação na sociedade. A recente morte de dois rapazes fomentou a discussão deste crescente problema que tem afligido as famílias sanjoanenses.


Diante destes casos, um grupo de pessoas se uniu para promover no domingo (9), uma mobilização com o intuito de conscientizar as pessoas sobre este mal. Intitulada “Passeata de Valorização à Vida”, a ação será na praça Cel. Joaquim José, às 14h.


A iniciativa partiu da Associação & Grupo Quatro Estações, ONG de Direitos Humanos representada pelo assessor de políticas para a diversidade, Chrysthopher Dekay, e do Grupo Ação Ombro Amigo, coordenado por Helder Trota.


“O suicídio é um fenômeno complexo, multifacetado e de múltiplas determinações, que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero. Mas o suicídio pode ser prevenido! Saber reconhecer os sinais de alerta em si mesmo ou em alguém próximo a você pode ser o primeiro e mais importante passo. Por isso, fique atento se a pessoa demonstra comportamento suicida e procure ajudá-la. E vamos falar sobre isso e trazer informação e orientação com os psicólogos presentes e demais pessoas do poder público. Venha mostre seu apoio e faça a vida valer a pena”, destacou a psicóloga Mariana Galli, que estará presente no evento.


PROGRAMAÇÃO



Segundo Thiago Rocha – que também tem incentivado e divulgado a passeata nas redes sociais –, esta manifestação será focada na valorização da vida e contará com a presença de profissionais da área da saúde, como médicos e psicólogos, por exemplo. A programação constará ainda de palestras abordando temas como depressão, ansiedade, entre outros transtornos, frisando a importância de se buscar ajuda para estes problemas. “Será um evento de conscientização, para que as pessoas saibam que existe ajuda profissional para lidar com este tipo de problema”, explicou.


NÚMEROS PREOCUPANTES



Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a cada ano são registrados mais de 800 mil suicídios no mundo – o que equivale a aproximadamente uma morte a cada 40 segundos. Além disso, a cada três segundos alguém atenta contra a própria vida. No Brasil, são mais de 11 mil casos anualmente registrados.


Em levantamento apresentado no Mapa da Violência de 2012, São João da Boa Vista aparecia entre os 30 primeiros municípios do País que mais registraram suicídios de jovens e adolescentes entre os anos de 2000 a 2010.


Para se ter ideia, a cidade ficou na 23ª posição no ranking. De acordo com a pesquisa, a taxa de mortalidade registrada no município por esse motivo foi de 4,6% a cada 100 mil habitantes, quando a média nacional era de 1,1% nesta época.


CAPS



A Prefeitura de São João da Boa Vista, através do Departamento de Saúde, oferece auxílio através de suas três unidades do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial). Tratam-se de instituições destinadas a auxiliar pessoas que possuem algum tipo de transtorno mental, oferecendo atendimento médico e psicológico. O objetivo é estimular a integração social e familiar do indivíduo, além de apoiá-lo em suas iniciativas de busca da autonomia.


Atualmente, os números de atendimentos contabilizados por estes centros mostram o quanto é preocupante a questão da saúde mental no município. No CAPS I (Centro de Atenção Psicossocial Infantil), localizado no bairro Perpétuo Socorro, são 400 atendimentos ativos e mais 200 cadastrados, ou seja, aguardando para serem atendidos.


O CAPS II (Centro de Atenção Psicossocial), na Vila Valentim, possui a maior demanda, com 500 atendimentos ativos registrados e mais 2.600 cadastrados. Já o CAPS AD – Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e outras Drogas, situado na Vila Brasil, possui 250 atendimentos ativos e mais 2.200 cadastrados.


CVV

A pessoa que necessita de ajuda não deve hesitar em buscar atendimento médico e psicológico ou até mesmo um grupo de apoio. Entre essas alternativas está o Centro de Valorização da Vida (CVV), que atende pelo número 188 ou pelo site www.cvv.org.br. O atendimento é diário e funciona 24 horas por dia.
Compartilhar este artigo em:diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

Comentários

Nenhum comentário.

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum